Stress: o que é e como deve ser tratado?

Por: Dra. Carolina Berteli Albano Ramos, publicado em: 22/06/2018

O stress pode ser definido como a quebra da homeostase interna, do equilíbrio do organismo, frente a algo que o ameace. E na tentativa de se adaptar ao evento estressor, em um complexo processo psicofisiológico, o organismo gasta grandes quantidades de energia.

Apesar de geralmente vermos o stress como algo negativo, ele pode estar associado a acontecimentos positivos, mas que geram uma alta demanda física e emocional, como por exemplo: casamento, aquisição de um imóvel, ingresso na faculdade, promoção no trabalho ou nascimento de um filho. E não é gerado apenas por fatores externos, mas depende também de características da personalidade que nos levam a fazer diferentes interpretações dos eventos ambientais, ou seja, algo que é estressante para uma pessoa pode não ser para outra.

Necessário para a sobrevivência, porém prejudicial em excesso

Em um primeiro momento, o stress é uma reação necessária ao indivíduo para sua sobrevivência em situações de perigo. Contudo, o stress excessivo passa a produzir cansaço mental, dificuldade de concentração, perda da memória recente e alterações no humor. A produtividade fica prejudicada.
Crises de ansiedade e humor depressivo seguem. A libido cai e a qualidade de vida sofre danos.

De forma prolongada, o stress afeta diretamente o sistema imunológico, tornando o organismo vulnerável ao desenvolvimento de doenças para as quais o indivíduo seja predisposto.

Acompanhamento profissional e mudanças no estilo de vida

E importante para o controle do stress uma alimentação equilibrada somada a prática de atividade física regular e de lazer. Uma vida organizada e produtiva, com boas relações afetivas e menor cobrança consigo mesmo e com os outros, poderão também conduzir a uma vida menos estressante e mais saudável.

Contudo, em um estágio prejudicial, o cuidado profissional torna-se fundamental para o tratamento. As medicações ajudam no controle dos sintomas, diminuindo a ansiedade e corrigindo distúrbios do sono em geral associados, mas devem ser prescritos com cautela e por tempo limitado. Já a psicoterapia é capaz de promover maior habilidade nos pacientes para lidarem com os fatores de stress e sensibilizá-los para mudanças no estilo de vida, contribuindo significativamente para e melhoria da qualidade de vida dessas pessoas.

Postado por: Dra. Carolina Berteli Albano Ramos, publicado em: 22/06/2018

CRP 06/67771
Especialidades: Psicologia


Formação

– Graduação em Psicologia (1997 a 2001) – Universidade Federal de São Carlos.

– Especialização em Terapia Comportalmental e Cognitiva (2003) – Universidade de São Paulo.

– Especialização e Aprimoramento em Psicologia Clínica Hospitalar (2005) – Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

 

Comente sobre este artigo

Você também pode gostar destes artigos