Entrando em forma

Por: Dr. Lísias Nogueira Castilho, publicado em: 24/01/2022

O Brasil está se tornando um país obeso. O número de pessoas com sobrepeso (sobrepeso, obesidade e obesidade mórbida) já passou de 50% na população adulta. Entre as crianças, esse número atinge 30%. Esse fenômeno ocorre nos Estados Unidos, na China, na Índia, na Rússia e no Brasil, principalmente, embora outros países estejam subindo na escala do sobrepeso.

Como fazer para entrar em forma é uma questão que aflige boa parte da população atualmente. Todos sabem dos males do sobrepeso, mas poucos conseguem achar uma saída.

O primeiro passo é saber o quão fora do peso cada um está. Para isso, basta recorrer ao Índice de Massa Corpórea (IMC), que é calculado apenas com os dados peso e altura. O peso é dividido pelo quadrado da altura e este número tem que ser igual ou inferior a 25 para ser considerado normal. Exemplo: uma pessoa tem 1,70m de altura e pesa 60kg. Seu IMC é 60 dividido por 1,7x1,7, ou seja, 2,89. O IMC é 20,76. O número é normal e está na faixa ideal, entre 20 e 25. Se o IMC é maior do que 25, trata-se de sobrepeso. Se está acima de 30, obesidade. E se está acima de 35, obesidade mórbida.

O melhor jeito de entrar em forma é combinar disciplina alimentar com exercícios físicos regulares. O principal é a dieta, não o exercício. A dieta representa 80% do sucesso no processo de perda de peso. A dieta deve ser de baixa caloria, fracionada (5 a 6 refeições por dia) e orientada por um nutricionista sempre que possível. O exercício físico deve ser inicialmente leve, três vezes por semana, como caminhada ou natação, de preferência orientado por cardiologista e preparador físico.

O ritmo de perda de peso não pode ser forte. Entre 1 e 2kg por mês, um ritmo de perda leve, o sucesso está garantido, embora demore meses nas pessoas que estão muito fora de forma. Não importa que demore. Se a perda for rápida demais, há o risco de perda de massa muscular e óssea, geralmente irreversível.

Postado por: Dr. Lísias Nogueira Castilho, publicado em: 24/01/2022

CRM 34 088
Especialidades:


Formação

Medicina – Universidade de São Paulo (USP)

Residência Geral – Universidade de São Paulo (USP)

Residência Urológica – Universidade de São Paulo (USP)

Mestrado – Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)

Doutorado – Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)

Livre Docente – Universidade de São Paulo (USP)

Especialização – Sociedade Brasileira Urológica.

 

 

Comente sobre este artigo

Você também pode gostar destes artigos

Artigos

Dia Mundial da Atividade Física

Dra. Talita Politano Galiza Vidal

Artigos

Doenças Raras

Dra. Ana Mondadori dos Santos