Alimentação e Nutrição

Por: Dra. Claudia Berton Novais, publicado em: 02/04/2019

Nutrição é a ciência que estuda as diversas etapas que um alimento sofre, desde a sua introdução no organismo (mastigação) até sua eliminação, também relacionando estes fatores à presença ou não de consequências maléficas ou benéficas. É nessa etapa que ocorre os processos de digestão, absorção, metabolismo e eliminação dos nutrientes. É um ato involuntário e ocorre apenas com a introdução do alimento no sistema digestório.
É bom saber que os alimentos são complexos e precisam ser decompostos em elementos simples para depois serem reconstruídos nas formas que o organismo deseja. Ou seja, para uso imediato ou para armazenar sob a forma de glicogênio ou gordura, por exemplo. A saliva presente na mastigação tem grande importância no início desse processo.
Alimentação é o ato de alimentar-se. É consciente e depende de cada um. A alimentação tem suas leis:

Lei da quantidade: a quantidade de alimentos deve ser suficiente para cobrir as exigências energéticas do organismo e manter em equilíbrio o seu balanço. As calorias ingeridas através dos alimentos devem ser suficientes para permitir o cumprimento das atividades de uma pessoa, bem como a manutenção da temperatura corporal. As diferentes atividades determinam as diferentes exigências calóricas.
Lei da qualidade: a composição do cardápio alimentar deve ser completa para fornecer ao organismo - que é uma unidade indivisível - todas as substâncias que o integram. O cardápio completo inclui todos os nutrientes que devem ser ingeridos diariamente.

Lei da harmonia: as quantidades dos diversos nutrientes que integram a alimentação devem guardar a relação de proporção entre si.

Lei da adequação: a finalidade da alimentação está subordinada à sua adequação ao organismo. Essa adequação está subordinada ao momento biológico da vida e, além disso, deve adequar-se aos hábitos individuais, à situação econômica social da pessoa e em relação ao seu sistema digestório e ao órgão ou sistemas alterados por alguma enfermidade.

Resumindo: a alimentação normal deve ser quantitativamente suficiente, qualitativamente completa, além de harmoniosa em seus componentes e adequada à sua finalidade e ao organismo a que se destina. Alimentos são substâncias introduzidas no organismo visando promover o crescimento, a reparação dos tecidos, a produção de energia e o equilíbrio das diversas funções orgânicas. Estes são de origem animal, vegetal e mineral. São classificados de acordo com suas propriedades físicas e químicas e sobre sua forma de atuação no nosso organismo.

Nutrientes são substâncias químicas que compõem o alimento que é utilizado pelo organismo. São carboidratos, lipídeos, proteínas, vitaminas e minerais. Portanto, para se alimentar de forma a nutrir o organismo sem prejudicá-lo é preciso observar as leis da alimentação.
As pessoas cada vez mais tomam consciência dessa atitude: alimentar-se para nutrir o corpo.

Às vezes, um alimento comporta-se como um tóxico que não tem nada de nutritivo. Um alimento é nutritivo quando colabora ou sustenta os processos de manutenção da vida. O alimento bom pode se tornar perigoso quando ingerido em excesso.

Postado por: Dra. Claudia Berton Novais, publicado em: 02/04/2019

CRN 8 454
Especialidades: Nutricionista


 

Formação

Nutrição – Pontifícia Universidade Católica Campinas –  1995

Especialização Nutrição esportiva (UNIFESP) –  1997

Suplementação e suas bases metabólicas – USP – 1999

Comente sobre este artigo

Você também pode gostar destes artigos

Artigos

Entrando em forma

Dr. Lísias Nogueira Castilho

Artigos

NOVEMBRO AZUL 2021

Dr. Lísias Nogueira Castilho

Artigos

Outubro Rosa

Dra. Ana Mondadori dos Santos